Cirurgia Endovascular

Angioplastia Arterial

A angioplastia é uma técnica minimamente invasiva realizada com o intuito de desobstruir uma artéria do paciente. Para a realização da angioplastia não são necessários cortes ou pontos na pele. Essa técnica de radiologia intervencionista é realizada por punção e utiliza um minúsculo balão na ponta de um catéter, que é insuflado dentro da artéria obstruída com placas de gordura e sangue, restituindo o fluxo sanguíneo. Em alguns casos é necessário a utilização de um canudo metálico chamado stent que impede que a placa de gordura volte a obstruir a circulação.

O que são as artérias?

Artérias são vasos que levam o sangue limpo do coração para o resto do corpo, enquanto as veias levam o sangue utilizado por órgãos e tecidos de volta para o coração.

O que é uma obstrução arterial?

Uma obstrução arterial ou aterosclerose é uma doença que afetam diretamente as artérias. Em alguns casos as artérias se estreitam ou ficam obstruídas por placas gordura e colesterol. Dependendo do órgão acometido (Membros superiores ou membros inferiores) pode levar paciente a quadros extremamente complicados como infarto do miocárdio, isquemia relativa ou absoluta de membros e até mesmo um acidente vascular cerebral.

Por este motivo e risco, após diagnóstico o paciente necessita iniciar o tratamento clínico com medicamentos e mudar sua rotina aderindo uma vida mais saudável. Quando o caso da obstrução arterial esta mais grave é necessário uma intervenção para desobstruir a artéria e para que o fluxo sanguíneo volte ao normal.

A angioplastia consegue desobstruir a artéria?

Na maioria das vezes sim. A angioplastia com ou sem stent é um procedimento eficaz e minimamente invasivo. Sem cortes, pontos e cicatrizes.

Como é feito o diagnóstico da obstrução arterial?

O diagnóstico é feito pela Clínica através de exames laboratoriais. Dores nas pernas ao andar ou ao repousar são sintomas que podem indicar obstruções arteriais.

Como é feita a angioplastia?

A Angioplastia é uma técnica Intervencionista que consiste na desobstrução de artérias com a utilização de catéteres. A grande vantagem da angioplastia é que a técnica dispensa cortes ou pontos na pele. Por uma punção com agulha delicada, geralmente da artéria femoral, se introduz um fio-guia e um catéter, passando o local da lesão e, através deste, coloca-se o a balão, que quando insuflado, abre a luz do vaso tratado restaurando o fluxo em seu interior. Para desobstrução destas artérias utilizam-se balões de angioplastia e stents.

Quais os tipos de angioplastia?

Existem diversas complicações arteriais que angioplastia atende, veja algumas:

  • Angioplastia das artérias coronárias
  • Angioplastia de artérias da perna para pacientes com insuficiência arterial crônica e aguda de membros inferiores
  • Angioplastia de artérias renais para pacientes com hipertensão renovascular ou nefropatia isquêmica
  • Angioplastia de artéria carótida para pacientes com estenose carotídea
  • Angioplastia de veias com estenose para tratar fístulas artério-venosas de diálise sem fluxo adequado



Endoprótese de Aorta

Os aneurismas de aorta abdominal podem enfraquecer a aorta, o maior vaso sanguíneo do seu corpo. Isso pode se transformar em um problema de saúde potencialmente grave, que pode ser fatal se o aneurisma romper, causando sangramento interno maciço.

O tratamento endovascular ou reparo endovascular de aneurisma (Endovascular Abdominal Aortic Aneurysm Repair - EVAR), é uma nova forma de tratamento para o aneurisma de aorta abdominal que é menos invasiva do que a cirurgia aberta. O tratamento endovascular usa uma endoprótese para reforçar a parede da aorta e para ajudar a impedir que a área lesionada se rompa.

A palavra endovascular refere-se à região dentro de um vaso sanguíneo como a aorta. Com a terapia endovascular, uma endoprótese é colocada dentro da sua aorta abdominal para ajudar a proteger o aneurisma contra rupturas.

A endoprótese é colocada dentro do aneurisma de aorta com a ajuda de um tubo plástico longo, muito fino e macio chamado cateter de liberação. O cateter de liberação contém a endoprótese comprimida.

Eis aqui como a endoprótese é colocada no aneurisma de aorta:

1. O cateter é inserido através de uma artéria na perna, próxima à virilha.

2. O cateter de liberação é inserido através do vaso até o aneurisma para guiar a endoprótese até o local.

3. Usando-se métodos avançados de imagem, o cirurgião guia o cateter de liberação que carrega a endoprótese até a região do aneurisma de aorta abdominal.

4. Uma vez que a endoprótese esteja posicionada, o cirurgião a libera no local e remove o cateter de liberação.

5. A endoprótese é colocada dentro da aorta abdominal para ajudar a impedir que o aneurisma se rompa.




Embolizações

Técnica que consiste em injetar em uma artéria, algum material capaz de obstruí-la complete ou parcialmentemente, com objetivo de causar isquemia em um lugar específico, geralmente um tumor, com a finalidade de reduzir o seu tamanho ou até elimina-lo.

Como é feito a embolização?

Atraves de uma punção arterial normalmente na virilha, com uso de tecnicas endovasculares, guiado por radioscopia, o cirurgião alcança o ramo arterial que esta nutrindo o tumor, e neste local injeta o material que vai fazer a embolia desta arteria especifica.

Quando pode ser usada?

As técnicas de embolização são utilizadas hoje em diversos tratamentos e cada vez mais se pesquisa novas utilidades para está tecnica. Hoje as principais utilidades da embolização são:

  • Miomas úterinos
  • Cancer de fígado
  • Cancer de rim
  • Mal formações arterias e venosas
  • Sangramentos gastrointestinais
  • Sangramento decorente de algum trauma
  • Varizes pélvicas



Angioplastia de Carótida

Trata-se de procedimento minimamente invasivo dirigido, sobretudo ao tratamento de doença estenosante (promotora de estreitamento dos vasos) das artérias carótidas. A doença de carótidas é uma causa importante de acidente vascular cerebral isquêmico (derrame por fechamento de um ou mais vasos nutridores do cérebro) e de ataque isquêmico transitório ou AIT (situação em que a oclusão do vaso cerebral é transitória ou não definitiva e há reversão espontânea completa do quadro de derrame em 12 a 24 horas). A causa mais importante de doença estenosante é a arteriosclerose (depósito anormal de gordura na parede dos vasos).

Cerca de 20% das pessoas que apresentam AIT têm estenose de carótida com mais de 70% de redução do diâmetro interno da artéria. O tratamento da doença de carótida é muito importante para evitar ou reduzir as chances de ocorrência ou repetição destes problemas vasculares.

A principal causa de obstrução das artérias carótidas e vertebrais é a doença aterosclerótica. A aterosclerose é o acúmulo de placas ricas em gordura nos vasos e pode acometer qualquer artéria do corpo. Quando acomete as carótidas pode gerar o Acidente Vascular Cerebral, popularmente conhecido como "Derrame".

A maioria dos pacientes com estenoses (estreitamentos) moderados não apresenta qualquer sintoma devido à adaptação de fluxo pela carótida contra-lateral e pelas artérias vertebrais. O grande problema das estenoses (estreitamentos) de artéria carótida é que as placas de ateroma são irregulares e podem apresentar também acúmulo de coágulos. Estes podem se desprender e serem carregados pelo sangue até o cérebro, aonde vão causar interrupções dos vasos cerebrais (Embolia Cerebral).

Outro problema freqüente é a oclusão (obstrução total) de uma artéria previamente estenosada, o que geralmente leva a quadros de isquemia cerebral mais graves e até irreversíveis.


Marque hoje mesmo uma consulta conosco!

Ligue para a Clínica Vivian Villela e marque uma consulta. Estamos à disposição para ajudar você a ter uma Melhor Qualidade de Vida.
Ligue:18 3117-6301 | 18 3622-6199